Sopa de Letrinhas

MARKETING EM AÇÃO

A consistência da marca U2

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O palco democrático do U2

O palco democrático do U2

Encantada com a nova turnê U2 360 que passa pela cidade de São Paulo nesta semana e que eu tive a felicidade de ver no último domingo, resolvi me inspirar para escrever sobre esta banda, que na minha opinião é melhor banda da história da humanidade e os números desta turnê confirmam minha afirmação:

A Live Nation Entertainment, produtora do show, anunciou no último dia 11 de abril que a U2 360 é a turnê mais bem sucedida de todos os tempos. Depois do show de domingo, dia 10, no Estádio do Morumbi em São Paulo, o U2 360 quebrou o recorde anterior, dos Rolling Stones na Bigger Bang Tour que arrecadou $554 milhões de 2005 a 2007. Com mais 26 apresentações antes do término da turnê em 30 de julho, o U2 360 marcará um novo recorde como a turnê de maior arrecadação de todos os tempos, com vendas finais de entradas devendo ultrapassar $700 milhões.

Tive a honra e a felicidade de ir nas três turnês da Banda no Brasil: em 1998 (Pop Mart), em 2006 (Vertigo) e agora (U2 360) e sou testemunha da evolução do trabalho dos caras nos palcos. Também posso falar sobre a consistência das temáticas abordadas, tema que creio ser fundamental para entender o sucesso deles.

Mas a pergunta que eu mesmo me fiz estes dias é avaliar o que é o U2 como marca (a banda) e como produto (as músicas, os shows, os vídeos, as atitudes fora dos palcos) e chegar em algumas palavras-chave que montam o quebra cabeça da “imagem” da marca U2? Quando pensamos em U2, no que pensamos? Seguramente as palavras abaixo virão em sua mente também:

- rock n’ roll
- ativismo democrático
- amor
- fraternidade
- modernidade

Essas são as características principais da imagem da marca U2 e se você se atentar, perceberá que em cada ação deles estas palavras estão presentes. E isso é o que eu chamo de consistência da marca. Eles podem fazer o que quiserem, sem perder a consistência. Esse é o segredo de todas grandes marcas.

Alguns exemplos desta consistência: o nome da marca U2 em inglês é “você também”, a ONG ONE criada pelo líder da banda, o Bono Vox, para atuar sobre os efeitos de miséria absoluta na África; a preocupação de suas letras abordarem sempre o respeito e amor ao outro; a presença em todos os shows de momentos de reflexão sobre a liberdade humana (nesta turnê o tema foi a Líbia durante a música Sunday Bloody Sunday); a fraternidade ao outro presente na condolência às crianças mortas no Rio; e a modernidade em criar pela primeira vez um palco absurdamente democrático, aberto, 360 graus em um estádio.

E sua marca é consistente? É íntegra?

Se você quiser fazer parte da ONG ONE, sem nenhum custo, acesse o seguinte link:
http://www.one.org/r?r=743&id=2242-5612642-0mrVYmx&t=2

Boa sorte, bons negócios!

Miriam


Miriam é e sempre será fã do U2.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Como eu sempre digo, menos é mais!

quarta-feira, 30 de março de 2011

Em setembro de 2009 já escrevi sobre este tema (para ler novamente veja aqui http://migre.me/49oMg) e mais uma vez ele me inspira: menos é mais.

Hoje me deparei com um estudo, feito por Barry Schwartz, um psicanalista que estuda a economia atrelada à psicologia, oferecendo idéias e explicações sobre o comportamento humano na vida de hoje. Segundo ele, quanto mais liberdade de escolha temos, ao invés de nos sentirmos mais livres, o resultado é o oposto, nos sentimos mais paralisados e inseguros na tomada de decisão. Tampouco nos sentimos mais felizes e sim nos sentimos cada dia mais insatisfeitos.

Ele ensina que para vender mais é necessário oferecer menos possibilidades. O excesso de possibilidades freia o consumo.

Por outro lado afirmo que o excesso de possibilidades também afeta, e muito, o meio ambiente. Pense a respeito fazendo um exercício muito simples: visite a uma loja especializada em tênis e peça para escolher um tênis de corrida para você ver o que acontece! Dezenas de opções vão ser despejadas das prateleiras para seus pés!

Eu prefiro lojas de rua ao invés das de shopping centers. Também prefiro pequenos supermercados ao invés de grandes redes. Quando vou a uma loja pequena ou a um supermercado pequeno, consigo visualizar o que eles tem para me oferecer com mais facilidade e tomar a decisão de compra mais rapidamente.

A dica que eu deixo hoje, tanto para designers, como para lojistas, é sempre buscar simplificar tudo. O simples demonstra bom gosto, pode perceber. A Apple não é minimalista à toa! A Hering se projetou no mercado como básica. Reflita!

Para conhecer o estudo do psicólogo na íntegra (você pode escolher a legenda em português) veja o vídeo acessando ao seguinte link:

http://www.ted.com/talks/barry_schwartz_on_the_paradox_of_choice.html

Boa sorte, bons negócios!

Miriam Torres

Miriam a cada dia está buscando simplificar tudo em sua vida, desde sua alimentação, até a quantidade de roupas que levará para uma viagem. Ela já entendeu que menos é mais e que é necessário levar uma vida mais leve.

Arquivado em: Marketing I Comentários (1)

Dicas para um Plano de Marketing

segunda-feira, 14 de março de 2011

fonte da imagem www.portaldomarketing.com.br

fonte da imagem www.portaldomarketing.com.br

Durante toda minha experiência como gestora de Marketing, sempre estabeleço estratégias e ações de curto, médio e longo prazo em um Plano Anual.

Hoje em dia, quando o foco de todas as empresas é por resultados imediatos, muitas vezes os interesses comerciais podem priorizar outras ações também importantes, e que fazem parte da sustentação da marca.

Porém, segundo minha experiência, um bom plano de marketing precisa abranger diversos tipos de ações que favoreçam tanto a marca quanto a promoção da empresa.

Assim, resolvi compilar aqui, algumas perguntas importantes para ajudar a sua reflexão sobre o seu negócio e com isso, apoiá-lo para que seu plano de marketing de 2011 seja o mais eficiente e completo possível. Se você já montou o seu plano, vale a pena revisar, se não montou e esperou o carnaval passar, essa é a hora de começar:

1) Orçamento: Você possui um orçamento pré determinado para marketing? Ou vai fazendo as coisas conforme a necessidade? Recomendo estabelecer um valor financeiro, baseado em seu faturamento (do ano passado ou o previsto em orçamento neste ano) e, partindo desse valor, pensar nas ações que recomendo abaixo.

2) Materiais Institucionais: Há quanto tempo você não tira fotos do seu negócio? As fotos são em resolução digital alta? E vídeo, você já possui vídeo? Há quanto tempo você fez o desenho do seu último folheto institucional e quantas páginas ele possui? É possível pensar em um novo desenho mais sustentável, com papel reciclado, sem verniz (pois verniz é plástico e inviabiliza a reciclagem do material) e com páginas reduzidas? E o seu site, há quanto tempo você está com ele no ar? Ele possui otimização de conteúdo para aparecer nos sites de busca com mais eficiência? Ele possibilita que você o atualize com freqüência? E seu plano de mídia para este ano, você já pensou onde fará publicidade e para quem? Pense verde destinando investimentos para o mundo virtual, poupando o mundo de papel. E lembre-se, tanto o web site quanto o folheto são as duas principais ferramentas de vendas. Eles são a porta de entrada para o seu negócio!

3) Promoções: Seu web site publica suas promoções? A imagem de seus boletins promocionais (email marketings) lembra ao menos o seu material institucional? Você possui uma base de dados segmentada e atualizada constantemente de seus clientes? Utiliza algum serviço ou possui um software de envio de email-marketing – hoje há muitos disponíveis e a preços bem convidativos? Seus brindes são atrativos e se relacionam com o seu negócio? Você divulga suas promoções e seus serviços através de assessoria de imprensa? E como anda sua campanha de publicidade nos sites de Busca? Você vende através de outros canais de distribuição (intermediários)? Cheque bem suas respostas e veja o que você pode incluir em seu plano para melhorar sua promoção.

4) Relacionamento e Comunicação: Como anda seu relacionamento com seus melhores clientes? Você prevê fazer alguma ação com eles até o fim deste ano? Você reconhece de alguma forma a lealdade dele? Como você se comunica com o seu mercado? Você está programando sua participação em algum dos eventos que existem durante o ano para promover o seu negócio em outras cidades ou estados? E com a imprensa, como você tem se relacionado? E com seus colaboradores como é a comunicação? E suas parcerias, como andam? Como você se relaciona com seus clientes nas principais redes sociais?

O exercício de refletir ao menos durante um dia sobre as questões acima apoiará suas decisões na eleição das ações de marketing mais importantes para o seu negócio, considerando ações de curto, médio e longo prazo.

Boa sorte! Bons negócios!

Miriam Torres

Miriam sabe que um bom plano de marketing precisa de um norte. Sem ele, as decisões são tomadas levando em consideração somente as necessidades comerciais da empresa.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Você conhece a Geração Z?

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

fonte tecnoblognet

fonte tecnoblognet

 

 

Como vocês sabem, adoro observar o comportamento humano. Nestes dias minha principal fonte de inspiração foram meus sobrinhos e resolvi escrever este artigo para detalhar as características geracionais dessa turma.

Z pode ser vindo de Zapping, que em inglês é a palavra que define o ato de você ficar mudando de canal o tempo todo sem assistir a nada. É o ato de você buscar opções sem se fixar em nada.

Assim está sendo nomeada a nova geração, composta de adolescentes e crianças nascidos entre 1990 e 2009. Eles já iniciam seu ingresso nas faculdades e em poucos anos estarão no mercado de trabalho, determinando novas tendências para o mercado e as marcas.

Suas características geracionais principais são:

- 100% conectados e móveis: computador e celulares do tipo smartphones já são uma realidade para a maioria. Passam 77% do tempo no computador / internet, contra 66% na Televisão e 54% no celular.

- são multitarefas: estão no computador pesquisando ou conversando, ouvem música, falam ao telefone, assistem a TV, tudo ao mesmo tempo.

- não consomem mídia, não acreditam em publicidade.

- consomem conteúdo e isso pode ser: textos, filmes, vídeos, música, livros e buscam o conteúdo gratuito e democrático, com fácil acesso ao compartilhamento.

- são individualistas: possuem sua própria TV, seu rádio, suas músicas e seus jogos.

- compartilham opiniões: esta é a forma mais eficiente de pulverizar uma preferência e ser o pioneiro a falar sobre aquele assunto. O famoso boca-a-boca virtual.

- são exibidos e criativos: modelam sua história e sua vida de forma instantânea, comentando suas experiências pessoais e com as marcas de forma democrática na internet.

- são materialistas, imediatistas e ansiosos.

- a música está presente em tudo: no toque do celular, na rede social, no vídeo do Youtube, no computador e também talvez na rádio.

- são consumidores inteligentes, sustentáveis, viciados em novidade e pouco aderentes a uma marca específica, porém quando aderentes, se transformam em poderosos evangelizadores virtuais.

- comparam, criticam, compartilham, elogiam e dialogam.

- são bombardeados e possuem acesso a um volume de informações e atividades gigantesco, por isso são generalistas e dispersivos.

- possuem o maior poder de compra já presenciado no Brasil nessa faixa etária.

- raramente visitaram uma biblioteca para fazer um trabalho de escola e a leitura só se for obrigatória ou por gosto pessoal, por isso são pouco afeitos a livros, revistas, jornais e qualquer tipo de mídia em papel.

- pesquisam tudo na Internet.

- nasceram em um mundo já consciente da sustentabilidade e da fragilidade do planeta terra.

Com todas estas características multifacetadas, as marcas terão um desafio enorme em se fixar na mente destes consumidores e fazer a diferença: o melhor caminho será o do diálogo, da disponibilização de conteúdo gratuito, da sustentabilidade e obviamente das redes sociais, além das novas formas de comunicação que apareçam por aí!

Boa sorte, bons negócios

Miriam Torres

Miriam observou que seus sobrinhos ficaram muito entediados por conta de uma falha no sistema de internet que durou 3 dias. O tédio inspirou o artigo, nada entediante para ela elaborar.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Amo o dever cumprido!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Uma das coisas que mais me deixa feliz é a conclusão de algo.

Entreguei recentemente o meu primeiro projeto robusto para o meu primeiro cliente: o site do Guararema Parque Hotel Resort.

Elaborei a gestão estratégica de comunicação e marketing do site, incluindo: seleção de fotos e vídeos, elaboração de conteúdos relevantes (como sustentabilidade, turismo e mapa das salas de eventos), além do desenvolvimento de formulários para solicitação de eventos e reservas através do site. Também foram incluídas as redes sociais além da comunicação em geral.

Para visualizar o novo site clique no link abaixo.

Este é o novo site do meu primeiro cliente!

Boa sorte, bons negócios!

Miriam Torres

Em apenas um mês que o site está no ar o hotel recebeu, através dele, mais de 120 solicitações de orçamentos de eventos e hospedagens. Este é o resultado do trabalho bem feito!

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas para fazer uma liquidação

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

fonte www.lojaguapa.com.br

fonte www.lojaguapa.com.br

A Revista Pequenas Empresas e Grandes Negócios da Editora Globo, publicou em seu site uma matéria muito bacana sobre como você ganhar mais vantagens de uma liquidação.

Selecionei algumas delas por considerá-las as mais importantes sobre o ponto de vista de marketing e adicionei algumas outras dicas valiosas. Vamos lá?

  • Ao fazer uma promoção de liquidação com descontos agressivos, diga claramente a faixa de desconto, informando na vitrine, em um display ou em uma faixa.
  • Organize muito bem as peças da liquidação, por tamanho ou por categoria de produto. Não é porque você está dando um baita desconto que a mercadoria precisa estar mal exposta!
  • Coloque as ofertas à direta da loja, é lá que seu cliente olha quando passa por ela (a mesma dica vale para anúncios em revistas e emails, procure colocar a informação mais relevante do lado direito da página).
  • Aproveite a liquidação, ocasião que muitos novos consumidores aparecerão, para captar as informações e aumentar ainda mais o seu banco de dados de seus clientes. Assim, futuramente, você poderá avisá-los sobre outras promoções, novas coleções etc.
  • Ofereça o acesso preferencial de suas ofertas para seus melhores clientes por tempo limitado. Ligue para eles pessoalmente informando da liquidação. Fará a diferença, pode estar certo.
  • Tome cuidado com as faixas de desconto. No mínimo, elas devem cobrir o custo que você teve ao adquirir aquele produto.
  • Aproveite as vendas promocionais para pedir pagamentos à vista ou diminuir o número de parcelas, assim você ganha mais dinheiro em menos tempo.

Boa sorte, bons negócios!

Miriam Torres

Miriam Torres sabe que as liquidações são ótimas oportunidades para renovar estoques, porém lembra que também são ótimas oportunidades para ganhar dinheiro mais rápido, fique atento!

 

Fonte:
http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI85697-17197,00-TIRE+MAIS+LUCROS+DA+LIQUIDACAO.html

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas para colocar seu negócio em um site de Compras Coletivas

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Estes são alguns dos 37 sites presentes no Brasil

Estes são alguns dos 37 sites presentes no Brasil

A partir de março deste ano, começou a operação de “n” sites de compras coletivas, onde você pode vender de tudo, desde produtos até serviços. A ciência é simples: é como uma compra de atacado. Você determina o tempo da oferta, e a quantidade de itens a ser vendida e anuncia. Em uma breve pesquisa pela Internet encontrei 247 sites de compras coletivas, que começaram a operar de março para cá?!?! O pioneiro foi o Peixe Urbano.

Para o consumidor, é a oportunidade de adquirir algo com desconto mínimo de 50%, chegando a até 90% em alguns casos.

Para o negócio é uma oportunidade de se divulgar para uma ampla gama de consumidores, já que os sites possuem um banco de dados imenso para fazer a oferta. Outra vantagem é vender para um número muito elevado de pessoas e obter novos clientes, aumentando seu banco de dados e melhorando a divulgação de seu negócio através de indicações.

Porém, antes de tomar a decisão de colocar o seu negócio dentro de um site de compras coletivas, é importante você ter em mente as seguintes dicas:

- avalie muito bem o contrato com o site, leia atentamente as políticas de desconto, os comissionamentos que o site ganhará, as questões fiscais, conheça muito bem seus custos, a fim de ganhar algo com a venda. Eu soube de diversos negócios que perderam dinheiro ao anunciar nos sites.

- determine uma quantidade mínima e máxima de vendas dentro de um certo período de tempo a fim de conseguir honrar com o consumidor. Já é fato, muitos estabelecimentos não conseguem suprir a demanda e mancham sua reputação. Proporcionam uma experiência ruim para o consumidor e, ao invés de atraí-lo para futuras compras, o efeito é contrário, o de repulsa.

- avalie se sua marca realmente precisa desta ferramenta para vender. Afinal você estará oferecendo seu preço com um desconto muito significativo, o que pode interferir na imagem da sua marca.

- avalie se sua equipe está preparada para tratar este cliente da mesma forma que ela trata o cliente que paga melhor. Lembre-se, sua clientela mudará muito quando houver este tipo de oferta em um site. Seu melhor cliente pode se misturar com outros clientes mais populares. Você quer correr este risco e mudar a percepção da sua marca?

- perceba se sua equipe de atendimento está preparada e treinada para efetuar as reservas de produtos ou serviços no prazo que você estipulou da oferta. Avalie se seu PABX está apto para receber o volume de ligações que você poderá obter ao vender por este canal.

- pesquise na internet experiências de consumidores ou de negócios parecidos com o seu. Há diversos depoimentos, disponíveis em redes sociais e na web, sobre a experiência de cada um com este tipo de compra ou venda.

Acredito que estas dicas poderão te ajudar a tomar a decisão de colocar, ou não, seu negócio para ser vendido em um site de compras coletivas.

Boa sorte, bons negócios!

Miriam Torres

Miriam fica muito surpresa com o crescimento deste segmento de negócios em apenas alguns meses e pensa: será que o consumidor está comprando demasiadamente por impulso?

Ela é Blogueira e consultora de marketing. Seu blog é miriamtorres.terra.com.br

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas de Inovação com a Fiat – Case Fiat Mio

terça-feira, 16 de novembro de 2010

A Fiat apresenta o carro do futuro, criado 100% colaborativamente.

A Fiat apresenta o carro do futuro, criado 100% colaborativamente.

Pela primeira vez na história da indústria automobilística, uma montadora abriu todo processo criativo de um automóvel, convidando internautas de todo o Brasil para participar ativamente da criação do novo carro conceito, o Fiat Mio, o primeiro carro 100% colaborativo da indústria.

Durante 9 de meses de projeto, 11 mil co-criadores, responderam a seguinte pergunta: Como sería o carro do futuro? Em um site qualquer interessado poderia se cadastrar e fazer parte do processo criativo.

No site http://www.fiatmio.cc/makingof/ você pode acompanhar em 14 episódios, a concretização do automóvel (que eu recomendo a todos os interessados por inovação de ver), que foi apresentado a 2 semanas no Salão do Automóvel de São Paulo. Para os apaixonados por automóveis é maravilhoso, pois aqui é desvendado nuances do processo de desenvolvimento inimagináveis para o consumidor comum, como por exemplo a presença da escultura e do desenho a mão livre.

Ao observar todo o processo, posso destacar diversas dicas importantes para compartilhar contigo e que pode ser aplicada a qualquer tipo de negócio:

- ouça o que seu cliente tem a dizer de maneira aberta e positiva.

- incentive seus colaboradores a ter esta atitude positiva perante toda e qualquer idéia.

- abra o processo de captação de idéias democraticamente, eliminando egos.

- respeite a genialidade do homem: mesmo em momentos altamente técnicos, o traço feito pelo homem, ou a forma desenhada em uma escultura feita por um homem são fundamentais – o real supera o virtual!

- uma idéia coletada hoje pode ser aproveitada amanhã, afinal ao abrir a mente para novas idéias e incentivar o seu consumidor a fazê-lo você terá um arquivo de inovações para ser aplicada em seu negócio quando você quiser.

- aplique as idéias que sejam factíveis e adaptáveis ao seu modelo de negócio e guarde as demais.

- ao abrir sua empresa para idéias você automaticamente transmitirá para seu consumidor que você é uma empresa inovadora e preocupada com a continuidade do seu negócio.

Pense bem: se a Fiat, com milhares de colaboradores e especialistas, abriu a mente para desenvolver um carro cuja criação foi toda concebida de maneira colaborativa e democrática, é porque isto é algo totalmente em linha com o consumidor do futuro: melhor informado, mais esperto, inteligente, exigente e engajado.

E você, o que está fazendo em seu negócio para inovar?

Vamos começar? O primeiro passo é tudo.

Boa sorte, bons negócios

Miriam Torres

Miriam ficou impressionada com o fato do ser humano ser tão importante num processo genial de criatividade como este. E isso é o que a maravilha.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Como Alavancar a Inovação na sua Empresa: Case 3M

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Muito mais que uma fita adesiva, a 3M está presente em quase tudo o que te rodeia e você nem dá conta disso!

Muito mais que uma fita adesiva, a 3M está presente em quase tudo o que te rodeia e você nem dá conta disso!

Acabo de participar, aqui em São Paulo, do maior evento corporativo do Brasil, a HSM Expo 2010. Esse evento reúne as maiores autoridades em gestão, administração, marketing, recursos humanos e design do Brasil e do mundo.

Durante 3 dias, milhares de colaboradores, diretores e empresários participaram do evento que discutiu temas recorrentes ao mundo moderno: sustentabilidade, conflito de gerações, inovação, marketing, gestão de pessoas, captação de recursos, governança corporativa, ética, dentre outros temas extremamente relevantes para o mundo dos negócios e para a convivência em sociedade.

Tive a oportunidade de participar, dentro do próprio centro de conhecimento que a 3M patrocinou no evento, da palestra feita pelo executivo Marcelo Tambascia da 3M.

Hoje a 3M possui 50.000 patentes registradas de produtos em desenvolvimento. Caso todo esse patrimônio intelectual fosse vendido, superaria o valor de mercado de todos os ativos (imóveis, maquinários, terrenos etc) que a empresa possui.

Durante a palestra, que durou cerca de 1 hora, fiquei fascinada com as lições que este gigante de inovação tem a nos passar e resolvi compartilhar com vocês:

Para uma empresa sobreviver e se perpetuar a inovação é fundamental.

A inovação vira realidade. A invenção não.

A inovação, nas empresas, é a aplicação prática da criatividade, que dá o retorno financeiro.

A concorrência é o motor da inovação.

A inovação é o motor do sistema capitalista.

Qualquer viagem para a inovação é intuitiva

As melhores idéias acontecem das inteirações humanas, muitas vezes na hora do café.

A 3M investe 6,5% do seu faturamento em inovação.

A empresa possui um mapa mental de todos os seus colaboradores, assim novas idéias ou conceitos podem ser testados dentro da própria organização, com as habilidades que cada colaborador possui.

O colaborador é incentivado a usar 15% do seu tempo durante a semana (o equivalente a um dia de trabalho) para criar algo que ele acredita. Neste tempo ele deve se focar em algo que ele goste e que seja alinhado com os propósitos da empresa.

Há um endereço de email na empresa responsável pela coleta e armazenamento de qualquer tipo de idéia.

Há uma rede de 7.000 cientistas que podem ser acionados para responder qualquer dúvida de qualquer colaborador. Obviamente somente aquele que souber a resposta falará com o questionador.

A empresa armazena idéias. Mesmo aquelas que em um determinado momento não tem aplicabilidade, ela é guardada. Quem sabe um dia ela possa ser aplicada em algo? O executivo citou o caso de uma idéia que foi aproveitada após 15 anos dela ter sido concebida!

A cada 1.000 idéias geradas, 100 viram sucesso hoje. A meta da empresa é passar para 300 idéias de sucesso a cada 2.000 geradas.

A empresa é totalmente orientada ao mercado consumidor.

Não há ego sobre quem criou o que.

A empresa premia seus colaboradores com as melhores idéias.

As equipes trabalham com foco no curto e no longo prazo. O curto prazo é a preocupação com o resultado do trimestre. O longo prazo com o desenvolvimento de produtos.

A 3M aposta na diversidade de equipes multidisciplinares.

Eles possuem um blog no conceito de “open inovation” (inovação aberta), onde qualquer pessoa do mundo inteiro pode postar uma idéia.

Caso qualquer pessoa de qualquer lugar do mundo tiver uma idéia, testá-la e não tiver condições de patenteá-la, a 3M possui uma área para atender estas idéias e caso a empresa considere interessante, eles efetuam um contrato de sessão da patente para desenvolvimento da idéia.

Se você também se interesse pelo assunto de inovação, dê uma espiada no site abaixo. Aliás o conteúdo da apresentação também está lá e o título é Seminário de Inovação 3M.

http://www.3minovacao.com.br

Nos próximos artigos espero trazer mais conteúdo de tudo o que eu vi na HSM Expo.

Boa sorte e bons negócios!

Miriam Torres

Miriam Torres sabe que o poder da criatividade é inerente a todo o ser humano e acredita que algum dia terá uma grande idéia, pois a grande idéia não tem preço.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas de Marketing com a Lady Gaga (em inglês)

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Veja no vídeo anexo mais algumas dicas de marketing com a Lady Gaga

 

http://www.youtube.com/watch?v=IC9bNthm70k

 

Como o serviço do blog do terra é muito bom, então vocês terão que migrar de página para ver.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

O que é marketing para o Radiohead, caso In Rainbows

quarta-feira, 7 de julho de 2010

Iluminação utilizada pela Banda é em LED, mais econômica e sustentável, embora mais cara.

Iluminação utilizada pela Banda é em LED, mais econômica e sustentável, embora mais cara.

O grupo de rock inglês Radiohead sempre esteve na minha opinião um passo a frente do mercado fonográfico. Ousado, determinado, inovador, ativista pelo meio ambiente, ele possui uma trajetória que merece meu respeito e admiração pela gestão da marca Radiohead.

 

Analisando toda a estratégia de distribuição adotada pela banda na divulgação de seu trabalho In Rainbows em 2007, bem como o posicionamento da banda durante a excursão do álbum homônimo em 2008 e 2009 (que esteve no Brasil inclusive e que eu vi felizmente) posso destacar alguns pontos com o olhar de marketing estratégico, que são importantes lições para qualquer segmento de negócio:

 

Ações de Experimentação de Produto (Sampling):

Segundo o site www.rockpress.com.br no dia 10 de outubro de 2007, a banda, antes do lançamento do CD, sem a gravadora e sem a distribuidora (iniciativa que tomaram desde 2003), através de seu próprio blog e em shows durante o ano de 2007, introduziu ao público algumas das novas faixas. Aqui, fica clara a intenção da banda em promover seu novo trabalho, com algumas ações de degustação, experimentando sua aceitabilidade através de seu público cativo, analisando a percepção de seu cliente de forma direta por intermédio da troca que um blog ou o show possibilita, ou seja retorno imediato e teste de produto. Esta estratégia, já havia sido desenvolvida por outras bandas como Pearl Jam, Wilco e Marillion, que já haviam compartilhado informações com seus fãs, viabilizando acesso gratuito ou pago a faixas trabalhos, faixas exclusivas para downloads ou shows.

Lição: testar o seu produto com seu público alvo é a melhor forma de garantir o atendimento das necessidades das pessoas.

 

Gestão centralizada do mix de marketing (produto, preço, praça/distribuição e promoção):

Além de gravar independentemente seu trabalho e distribuí-lo através da internet, em um site próprio e exclusivamente desenhado com este fim (que substituiu toda estratégia tradicional de lançamento que incluiriam entrevistas em programas de música, coletivas de imprensa, viagens, apresentação em programas etc), o grupo através desta ação contou exclusivamente com o boca-a-boca gerado pelos seus fãs. A grande inovação introduzida pelo Radiohead foi atribuir ao fã a responsabilidade e a confiança de estipular o preço do trabalho, respeitando a vontade de seu cliente e aceitando o valor que ele lhe ofereceu, e essa estratégia rendeu, segundo entrevista dada pelo líder da banda, Thom Yorke a David Burn, na revista digital Wired, em 2 meses de venda direta, mais lucros em vendas digitais do que qualquer um de seus trabalhos anterioriores até aquele momento, já que a EMI, sua antiga gravadora, não repassava qualquer valor relativo a vendas em formatos digitais. Segundo o artigo de referência, em 4 dias de vendas no site, o ticket médio foi de USD 8, ou seja 40% do valor médio de um cd de USD 18. Vale salientar que segundo o site www.musitec.com.br em matéria publicada dia 1 de feveireiro de 2002, um artista de renome como o Radiohead podería ganhar de 18 a 22% sobre o valor de venda do CD.  Ou seja, o modelo adotado pela Banda, rendeu em média o dobro da venda intermediada.

Lição de marketing: de maneira arrojada o grupo apostou em seu público como tomador de decisão final. Ao perder o medo dos intermediários, o grupo lucrou muito mais.

 

Database marketing:

No sistema de pagamento, que foi feito através de cartões de crédito, foi coletado o email pessoal de seus fãs, onde a Banda enriqueceu sua base de contato com seus fãs, vislumbrando estratégias 1 a 1 no futuro.

Lição de marketing: A empresa que possui informações sobre seus clientes é a empresa que será bem sucedida no futuro. Informação é investimento.

 

Customização:

Durante o lançamento digital no site, a Banda pensou também nos clientes mais tradicionais e nos fãs mais apaixonados (que buscam produtos  exclusivos e que não abrem mão do formato físico) disponibilizou através do mesmo site uma edição de luxo, contendo a obra “In Rainbows” em vinil duplo e CD - além de um disco extra com faixas não incluídas no álbum digital e mais letras, capa e encarte, que não fizeram parte da versão em MP3. O pacote foi enviado somente a partir de 3 de dezembro aos fãs (aproximadamente 2 meses depois do lançamento em MP3) a quem pagou 40 libras (naquele momento valia R$ 160), preço este que já incluiu o frete de envio para qualquer lugar do mundo. Aqui a banda, além de coletar os emails, também enriqueceu sua base de dados, conhecendo o endereço de seus fãs ao redor do mundo, obtendo nova forma de contato direto com os clientes finais.

Lições de marketing: Enriquecimento de base de dados e personalização do produto, atendendo o desejo de todos os tipos de fãs, tanto os modernos como os saudosistas.

 

Distribuição:

Em janeiro de 2008, conforme o artigo da revista Época Negócios de novembro de 2007, a banda lançou o CD através das distribuidoras oficiais no mercado Americano e alcançou o número 1 em vendas, façanha esta que se repetiu na mesma semana no mercado no Reino Unido, segundo matéria publicada no site uk.reuters.com no dia 06 de janeiro. Ou seja, o boca a boca funcionou e gerou resultado de vendas também no modelo tradicional.

Lição de marketing: A parceria com distribuidoras continuou, porém não no lançamento. Se priorizou a entrega ao público mais fidelizado e “antenado” com a banda que reverberou espontaneamente para outros públicos que também quiseram comprar o CD, no seu formato físico.

 

Consistência na Imagem de Marca & Sustentabilidade:

O Radiohead, como banda ativista e inovadora, também se preocupa com sustentabilidade, se posicionando mundialmente pela causa. Durante seus shows, todo palco é feito com materiais reciclados. O sistema de iluminação em LED é mais econômico e ecológico. As exigências dos artistas são simples, nada comparado com outros artistas do cenário. Assim o Radiohead mantêm a consistência de sua marca e reafirma que muito mais que falar, eles também militam.

Lição de marketing: Ao definir a imagem de uma marca é necessário ser firme para manter seus ideais, mesmo que isso signifique maiores gastos ou perdas financeiras. Promessa é tudo em uma marca.

 

Obviamente todas estas ações são exitosas pois elas possuem afinidades com o público alvo da Banda. Certamente outros modelos de negócio exigiriam outros estudos aprofundados para a tomada de decisões estratégicas que beneficiem a marca não somente agora, como no futuro.

 

E sua marca, como está posicionada, distribuída, promovida, experimentada? Pense a respeito e se precisar, mude!

 

Boa sorte e bons negócios

 

Miriam Torres

 

 

Miriam é fã do Radiohead, foi ao show e possui toda obra da banda em MP3. Para ela, este foi o melhor show de sua vida até hoje.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas de Marketing na saga “Crepúsculo, Lua Nova e Eclipse”

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Em um outro artigo que fiz no ano passado, fiz algumas observações das explicações do ponto de vista do consumidor que fazem desta saga o sucesso que é. Para rever este artigo, acesse: http://miriamtorres.blog.terra.com.br/2009/12/08/crepusculo/ .

 

Acabo de vir do cinema depois de ter assistido o último filme da série, o filme Eclipse. Mais uma vez, Vampiros e Lobos lutam pelo amor de mulheres. Mas, deixando de lado a diversão, existem alguns elementos interessantes que eu posso destacar como importantes lições de marketing:

 

1)    Imagem: imagem, como dizia o famoso comercial de um refrigerante (acho que era Sprite) é tudo. E é tudo mesmo! E o filme esbanja conhecimento nesta área. Quando é momento de mostrar um ambiente mais perigoso, um filtro cinza azulado está presente. Quando é hora de mostrar romance e aconchego, imagens em tons amarelados e marrom ganham a tela. E como você pode utilizar isso em seu negócio? Seu produto é algo técnico ou aconchegante? Se for técnico, uma iluminação clara facilita o entendimento do que se trata seu produto. Se é algo aconchegante e mais criativos, use tons amarelados e coloridos, pois sem dúvida irão atrair muito mais ao seu público.

 

2)    Trilha sonora: a trilha do filme esbanja um apelo adolescente, com boas baladas românticas e novamente o tom soturno está presente. Obviamente um filme de vampiros e lobos não poderia ser somente romântico. Aqui o doce tem uma pitada de amargo, de tristeza. Se você um dia for fazer uma propaganda de rádio de seu produto ou serviço pense muito bem antes de escolher a trilha sonora. Ela tem que ser condizente com a imagem que você quer projetar. Se é alegre, escolha músicas alegres. Se é técnico, opte por instrumental.

 

3)    Figurino e Maquiagem: o figurino do filme é outro item de valor. Obviamente o figurino é muito adolescente, onde agasalhos de moletom e jeans estão presentes o tempo todo. O cabelo e a maquiagem é outro item de destaque. Os personagens são muito bem caracterizados com tudo o que a moda possui hoje: várias opções de cores e formatos de cabelo. Se um dia você for fazer um comercial de seu produto ou serviço pense: o cabelo e o figurino das pessoas são condizentes com a imagem que você quer passar? Se você vende um produto popular vai colocar jóias na foto?

 

4)    Licenciamento de produtos: o filme, como um grande sucesso de bilheteria, está aproveitando a oportunidade para ganhar dinheiro com outros produtos: copos, posters, pacote de pipoca, tudo está valendo. Uma imensa gama de fornecedores dos mais variados tipos de produtos ganham e muito dinheiro com isso. Sua marca também pode ganhar dinheiro com licenciamento. Pense sobre isso como uma alternativa de receita.

 

Apenas terminando o comentário do filme, avaliando ele como produto da indústria do cinema e do entretenimento que também possui um público alvo (sobretudo feminino e adolescente) saliento os componentes do enredo que para mim são a chave do sucesso: romance à moda antiga (tão ausente na vida das pessoas hoje em dia), amizade, respeito à família, respeito às diferenças das pessoas (pessoas com opções e vidas diferentes convivendo bem), respeito as tradições dadas hoje por muitos como “falidas”

como família, honra, respeito, honestidade. E, é claro, a presença de 2 protagonistas masculinos, totalmente diferentes e de tirar o fôlego, certo mulherada?

 

Deixo para vocês somente uma pergunta: será que a heroína, Bella, ficará com o Tanquinho Quentinho (Jacob) ou com o Magrinho Geladinho (Edward)?

 

Veja o filme e descubra.

 

Boa diversão, bons negócios

 

Miriam Torres

 

 

Miriam mais uma vez fica feliz de perceber que o cinema consegue passar valores importantes de vida importantes para as pessoas. Uma delas é que o romance sempre pode existir, basta querer.

 

 

 

 

 

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Dicas de Marketing com Black Eyed Peas

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Dando continuidade aos artigos onde observo o que a indústria da música tem a nos ensinar em termos de marketing, e independente de gostos ou preferências musicais, hoje apresento a vocês as estratégias de marketing do Black Eyed Peas, banda norte-americana que existe desde 1995. A partir de 1997, quando passou a fazer parte da gravadora americana Interscope Geffen A&M, vendeu 27 milhões de álbuns globalmente. Na era de downloads de músicas pela internet isto é sem dúvida louvável.

1)    Composição do produto: O grupo é composto da musa Fergie na comissão de frente, o rapper will.i.am, o músico apl.de.ap (pronuncia-se “époldi- a”), nascido nas Filipinas e criado nos Estados Unidos, e Taboo, americano de ascendência mexicana e traços orientais que também dança hip hop e break.  Esta mistura étnica e de estilos foi escolhida a dedo desde a formação do BEP, com o amigo apl.de.ap, 15 anos atrás. Como ele mesmo declara, esta mistura heterogênea causa identidade com diversos públicos em todo mundo: “Quando estou no Brasil, pensam que sou brasileiro. Na Europa, o público gosta da Fergie, então a colocamos na frente. Na América do Sul, Taboo é o nosso homem. Nas Filipinas? Temos o apl.de.ap para falar o idioma local”

Lições de Marketing: num ambiente globalizado nada melhor do que ter uma banda cuja etnia também é sem fronteiras e estabelece um canal de comunicação visual imediato com seu público alvo. Sua equipe hoje reflete isto para seus clientes? Outra lição é trabalhar com pessoas com habilidades diferentes que se complementam e que criam um ambiente muito criativo: vocalista, músico, compositor e dançarino. Sua equipe é também complementar?

2)    Liderança: o rapper will.i.am, idealizador do grupo, compositor, produtor, vocalista, líder e principal executivo, cuida pessoalmente dos negócios e parcerias do grupo. Possui em seu histórico contratos de publicidade com empresas como Apple, Honda, Verizon, Motorola, Pepsi, Samsung, BlackBerry e Bacardi.  

Lição de Marketing: O líder de uma empresa deve sempre estar à frente das melhores oportunidades de negócio para a marca. Ninguém melhor que ele para defender e vender a marca. Como já mencionei, a marca reflete a personalidade de seu principal líder.

3)    Promessa da marca: o Black Eyed Peas tem como promessa de marca “darem para as pessoas um momento de felicidade”. Baseada nesta promessa, suas composições possuem como temas: liberdade, festas, baladas, bares, viagens e tudo o que lembre diversão imediata. Assim, toda produção artística (letras, ritmo, vídeo clips, fotos) remetem também a alegria e prazer, temas altamente conectados ao seu público.

Lição de Marketing: Ao estabelecer a Promessa da Marca, todas as ações de marketing se baseiam nela. Qualquer ação será baseada nesta promessa: “darem para as pessoas um momento de felicidade”.

Clique aqui: O hino da balada, a música I gotta felling sintetiza a promessa da marca. 

4)    Parcerias: Ao estabelecer parcerias com outras estrelas do cenário musical pop mundial como Justin Timberlake, Timbaland e David Guetta, o BEP confirma sua promessa, levando diversão para seu público e falando com outros artistas também “divertidos”.  Além disso, todos estes nomes são marcas equivalentes ao Black Eyed Peas, que possuem clientes/fãs similares, da mesma faixa etária e preferência musical semelhante.

Lição de Marketing: estabelecer parcerias com marcas que sejam afins à sua marca, que possam complementar seu trabalho e que também se comunicam com um público alvo similar ao seu, fortalece sua marca. Avalie sempre se a marca que lhe propõe uma parceria causa este efeito para sua marca. Se sim, vá em frente!

5)    Patrocínios: O líder do Grupo will.i.am encontra maneiras criativas de obter os patrocínios. 2 bons exemplos foram as seguintes parcerias: BlackBerry: o líder da banda criou a oportunidade de fechar o patrocínio quando inventou a seguinte ação de marketing: em um dado momento durante o show, will.i.am improvisa um rap com base em mensagens que a platéia envia de seus aparelhos BlackBerry e que são projetadas em um telão no palco. Bacardi: já que durante o show não é possível fazer ações de marketing com a marca devido a proibição de leis anti bebidas alcoólicas, o Líder da banda propôs a venda de coquetéis exclusivos preparados com o rum, para serem vendidos durante o show.  Além disso, a marca é a patrocinadora de festas em que o próprio will.i.am comanda as pick-ups, antes e depois das apresentações em cada cidade, festas estas disputadas por celebridades e a sociedade local, com ampla cobertura pela imprensa e no próprio site da empresa.

Lição de marketing: Alinhadas à promessa da marca, aqui vemos duas propostas criativas de parceria que demonstram flexibilidade e consistência por parte de ambas as empresas. Além disso, ambas as marcas são afins ao público alvo do BEP. Parcerias de valor devem ser consistentes com sua marca e focadas em seu público-alvo.

Você pode utilizar estas lições também para seus negócios, não acha?

 

Boa sorte, bons negócios!

 

 

Miriam Torres

 

 

Miriam é apaixonada por música e também apaixonada por marketing. Nesta fase ela resolveu juntar suas 2 paixões e escrever alguns artigos sobre como aplicar as técnicas de marketing baseadas nas práticas da indústria fonográfica.

Arquivado em: Marketing I Comentários (3)

Como se relacionar com seus clientes?

quinta-feira, 10 de junho de 2010

 

Relacionamento é como uma amizade verdadeira, não tem fim 

Hoje escreverei uma vez mais sobre relacionamento. Em tempos de semana dos namorados, nada melhor que aproveitar a onda de amor que está no ar para escrever sobre este tema mais uma vez.

Mas o que é se relacionar: já sabemos, é uma via de mão dupla. Quando um vai, as vezes o outro vem. Quando um cliente vem, temos que ir de encontro a ele.

Mas o que sería esse encontro senão uma troca? Uma troca pelo reconhecimento, pelo valor, pela importância que ele tem para você e para seu negócio? Neste último feriado de Corpus Christi, aí na cidade de Piumhi em Minas Gerais e vivi uma vez mais o valor de um relacionamento de anos, e tiro de toda experiência que vivi os ensinamentos da coluna de hoje:

  1. conheça seu cliente, seus gostos e suas preferências, e ofereça a ele aquilo que tem importância para ele;
  2. ofereça um ambiente confortável, limpo, com iluminação, plantas, cores, texturas e tudo de belo que seu negócio pode entregar com carinho;
  3. tenha sempre um sorriso sincero estampado no rosto;
  4. disponha para ele novas experiências: um bom papo, um cafezinho, ou quem sabe aquele pãozinho de queijo?
  5. queira ajuda-lo para proporcionar a ele aquilo que ele mais deseja, mesmo que isso implique em um esforço adicional seu;
  6. receba com gratidão qualquer opinião que ele tenha pra te dar e compartilhe com ele, com transparência e verdade, aquilo que você tenha certeza.

 

Bons negócios e boa sorte!

 

Miriam Torres

 

 

Miriam é Consultora de Marketing e esteve muito bem hospedada na casa do Washington e da Nanci, sua amiga de infância, Editores do Jornal Prisma de Pimenta. Durante sua estada pra lá de prazerosa, teve a oportunidade de compartilhar experiências, gostos, sabores, com a simplicidade e a honestidade do povo Mineiro. Ela deixa aqui sua tremenda gratidão pelo carinho e dedicação durante sua estada. Seu contato é miriamtorres@terra.com.br.

   
 
 
 
 

 

 

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Coca-Cola sempre inovando

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Desde o início do meu blog, procuro buscar bons exemplos onde a genialidade humana surpreende no momento do consumo.

 

A centenária Coca-Cola, simplesmente a marca mais valiosa do mundo segundo o instituto Interbrand, avaliada em 68 bilhões de dólares, mais uma vez, sai à frente de sua concorrência e dá uma reviravolta no mercado de refrigerantes.

 

Porém, diferentemente de algumas decisões do meio empresarial baseada em percepções, percebemos a consistência que existe nesta ação da maior marca do mundo.

 

Nos últimos anos, a marca, atenta à perda de mercado ocasionada em virtude das pessoas estarem mais preocupadas com o bem estar, resolveu iniciar todo um trabalho de inovação em seu portfólio de produtos, lançando itens que estão altamente conectados com qualidade de vida e saúde.

 

Depois da Diet Coke, que revolucionou o mercado de refrigerantes Diet a coca evoluiu para a Light e logo depois para a coca Zero, ideal tanto para quem não quer engordar quanto para aqueles que são diabéticos.

 

Há alguns anos atrás comprou a marca de sucos Del Valle, mostrando mais uma vez a preocupação em alcançar o mercado daqueles avessos a refrigerantes e preocupados com o bem  estar. Depois disso, incursionou no mercado de refrigerantes diets do tipo “água gaseificada” mercado este, que segundo minha percepção, ainda está em testes.

 

Inovou a Kuat, dando nova vida ao mercado de Guaranás e deixando de ser a sombra de sua maior concorrente, reposicionando a marca através de uma estratégia de imagem inovadora e condizente com o produto e seu target, o público jovem. Em seguida lançou a Kuat Eco, deliciosa mistura de guaraná com Chá Verde, outra grande febre entre os consumidores que buscam bem estar.

 

Agora, o recém lançamento, prova mais uma vez sua preocupação em fazer a diferença. Acaba de lançar um refrigerante light, a Coca Light Plus. E porque plus (mais em inglês) porque é enriquecido com diversas vitaminas!!! Quem diria que um dia eu iria tomar um refrigerante rico em vitaminas!? Fiquei realmente feliz de entender que o mercado de refrigerantes agora tem uma nova opção de evolução, descaracterizando o papel de vilão para a saúde e o bem estar, pelo menos, aparentemente.

 

Como gestora de marketing, fico cada dia mais maravilhada com a atitude desta marca, que merecidamente é a mais valiosa do mundo.

 

Bons Negócios e boa sorte

 

Miriam Torres

 

 

Miriam é gestora de marketing a nove anos e experimentou maravilhada o novo refrigerante e atesta: “não há a menor diferença de sabor entre a Cola-Cola light normal e a Plus. Seu email é miriamtorres@terra.com.br.

 

 

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

O Consumo Consciente

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Embora eu seja uma profissional de marketing, eu também questiono muito o quanto nós seres humanos somos devastadores com a mãe natureza e seus recursos na hora de consumir.

 

E isso tem feito eu refletir muito ultimamente.

 

Próximo do meu trabalho, na Vila Olímpia, abriu recentemente um Shopping Center.  A região que eu trabalho é preponderantemente comercial, dotada de muitos escritórios de empresas nacionais e internacionais. Antes, para ir a um shopping center, era necessário se deslocar por aproximadamente 20 minutos de carro para estar no shopping Morumbi, no Ibirapuera ou no Iguatemi. Agora basta atravessar a rua para estar lá.

 

Passeando pelo shopping percebi a existência de ao menos 5 lojas de Tênis. Um bairro que antes sequer tinha uma loja, passa a ter 5 lojas!!! Observando o volume de modelos, marcas e preços, fiquei surpresa e refleti: será que haverá comprador para tudo isto que está aqui? Esse momento desencadeou outros momentos de pensamento sobre consumo. Desde então já me vi observando vitrines de lojas de roupa, calçados, móveis, açougues, mercados, etc. e e a mesma pergunta sempre volta: será que haverá gente para comprar tudo isso?

 

Sei que dependemos da agricultura, do comércio, da indústria ou dos serviços para sobreviver, pois tudo faz parte de uma cadeia, de um sistema. Mas uma certeza sinto aqui dentro do coração: estamos exagerando e isso está devastando a natureza.

 

Para conhecer um pouco mais sobre o consumo consciente entre no site do Instituto Akatu e leia a reportagem disponível no link http://www.akatu.net/consumo_consciente/oque

 

Comece a fazer a sua parte na sua próxima compra. Compre o necessário. Hoje mais do que nunca vejo que minha mãe tinha razão.

 

Boas compras, bons negócios

 

Miriam Torres

 

Miriam é profissional de marketing e a cada dia tem mais certeza que a felicidade mora no simples e que muitas vezes tapeia sua própria insatisfação com a compras consumistas. Ela tem buscado evoluir dia a dia reduzindo o impulso da compra.

 

 

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

O cinema também atende necessidades humanas

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Veja este filme em 3D, é lind�ssimo

Veja este filme em 3D, é lindíssimo

O cinema, como tudo na indústria do entretenimento, como teatro, música, shows, livros, histórias em quadrinhos, etc, também atende diversas necessidades humanas. Dentro da pirâmide do consumo de Maslow, o cinema está na necessidade de status. Através do cinema, nós consumidores nos atualizamos, aprendemos, vislumbramos o que de melhor há em tecnologia visual, e nos divertimos, e muito.

Nesta coluna de hoje vou dedicar um tempo para contar, do ponto de vista de marketing, alguns dos ótimos filmes de 2009, que atendem várias necessidades humanas. Todos são filmes de excelente qualidade e com histórias marcantes. Foram os filmes que mais me agradaram neste ano.  

 

Quem quer ser um milionário: é um filme que conta a saga e aventura de um jovem indiano, mendigo, que concorre a um programa de TV de perguntas e respostas e começa a ganhar muito dinheiro. Este filme, ganhador de 8 Oscar´s neste ano, é um grande filme, pois reúne todas as disciplinas do cinema: romance, drama, arte, aventura, policial, terror e comédia. Do ponto de vista das necessidades humanas, ele atende: a persistência em alcançar um objetivo, a vontade de fazer acontecer, o desejo de luta e vitória. Gera todos os 4 sentimentos básicos: alegria, tristeza, medo e raiva.

 

O curioso caso de Benjamim Button, uma fábula que conta a história da vida do personagem principal, começando na velhice e terminando no nascimento. Atende as necessidades de romance, amor maternal, amizade. Gera sentimentos de alegria e tristeza.

 

O Leitor, mais uma história sobre a época Nazista, porém desperta outro tipo de sentimento e perspectiva sobre o Nazismo. Demonstra que as pessoas que trabalhavam para o Nazismo, também eram serem humanos, dotados de sentimentos e sensibilidade. Atende as necessidades de romance e superação. Gera sentimentos de alegria e tristeza.

 

Bastardos Inglórios, mais um filme do cineasta “alternativo” Quentin Tarantino, atende uma necessidade humana básica que poucos colocam para fora: a raiva. Ele simplesmente colocou no papel e transformou em filme a maior vontade de todos os seres humanos. Poder fazer algo contra o Nazismo. Atende as necessidades de ira, raiva, subversão, vingança e fúria. Gera sentimentos de alegria e raiva.

 

Up, desenho infantil, mas como todos os desenhos, é uma história repleta de significados e mensagens importantes para os adultos, atende a necessidade de amor, aventura, persistência para atender objetivos, amizade, fidelidade, desapego. Os sentimentos que afloram são de alegria.

 

A mulher invisível, filme nacional de ótimo gosto atende a necessidade de todo homem em encontrar a mulher perfeita. Essa mulher perfeita, além de bela, é amiga, companheira, disposta a tudo. É o sonho de consumo de todos os homens. Atende as necessidades de que “sonhar é possível”, diversão, beleza, sensualidade. Gera sentimentos de alegria.

 

O paraíso é aqui, filme com uma ótima história de vida, atende as necessidades de esperança, fé, crença, confiança, amor, respeito e amizade. Gera sentimentos de alegria.

 

Marley e Eu, fala do relacionamento do ser humano com os animais, atendendo necessidades de carinho, afago, respeito, amor, amizade, companheirismo. Gera tristeza e alegria.

 

Avatar, este ainda em cartaz nos cinemas, é um presente de fim de ano. Um belíssimo filme, mais belo ainda se for visto em 3D, que dá aquela sensação de você fazer parte da história. Repleto de efeitos especiais e lindo esteticamente falando, atende as necessidades de admirar o belo, da aventura, do aprendizado, do romance, da ética, da sustentabilidade, do relacionamento com a natureza, da simplicidade, da humildade. Gera sentimentos de alegria, medo e raiva.

 

 

Miriam é profissional de marketing e amante da 7ª. Arte. Para ela, o cinema é como meditar: limpa e expande a mente. O cinema faz com que ela veja a vida de outras maneiras, possibilitando entender novas possibilidades.

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (1)

Sustentabilidade, essa palavra “ainda” não te diz nada? Cuidado!

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Pense e aja. A hora é agora.

Pense e aja. A hora é agora.

 

Muito se fala hoje em dia em sustentabilidade. Muito se fala porém ainda pouco se faz. Temos um imenso potencial para isso crescer e este será um dos pilares da continuidade da nossa existência na terra. Dramática? Não realista.

 

 

 

 

Destaco hoje o trabalho de uma empresa que tem demonstrado uma imensa consistência em sua atuação no mercado. A Natura. Ela, além dos imensos recursos destinados a pesquisas e novas formas de fazer cosméticos, sempre pautadas na questão da sustentabilidade, agora está investindo, sob o comando de um de seus sócios, Guilherme Leal, na primeira Escola Superior de Conservação Ambiental do país.

A escola, montada pela Natura em parceria com a ONG IPÊ – Instituto de Pesquisas Ecológicas, define muito bem o termo “consistência” que sempre uso em nossas colunas.

A Natura é consistente porque, além de investir, e muito, em sustentabilidade, agora constrói em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, uma Escola, com um campus integrado à natureza, contemplando preceitos de construção sustentáveis, como tecnologia para redução do consumo de água e energia, além de uso de materiais com certificação ambiental. Em 2010 a escola formará os 80 mestres.

Além disso, a Natura mostra a excelente visão de futuro e estratégia de seu próprio negócio. Afiliado à ONG  IPÊ, que pesquisa e fomenta a criação de cada vez mais soluções de produção e desenvolvimento de novos produtos pautados na sustentabilidade, ela garante a continuidade e sobrevivência da empresa por muitos e muitos anos. Aliás a IPÊ também tem parcerias com outras marcas gigantes como Havaianas e Bimbo.

E você o que anda fazendo com relação a este assunto? Ao menos recicla o lixo não orgânico como latas, papéis, plásticos de seu estabelecimento? Usa com parcimônia a água? Utiliza lâmpadas econômicas? O que você faz para preservar o mundo de seus sobrinhos, netos, filhos? Está sem tempo de pensar no assunto.

Pense a respeito e aja. A hora é agora.

Para conhecer mais sobre a ESCAS acesse http://www.escas.org.br.

 

Bons negócios, boa sorte.

 

Miriam Torres

Miriam é gestora de marketing e viciou em reciclagem. Em sua casa, a cada dia fica mais surpresa que o volume do lixo reciclável é infinitamente superior ao volume do lixo orgânico. E ela sabe muito bem que isso não lhe custa nada, somente uma palavrinha chamada “atitude”.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Como construir uma marca?

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Quando falamos na palavra construção, pensamos imeadiatamente naquilo que forma uma boa construção: bons alicerces.

E quais são os principais alicerces de uma marca? Segundo minha experiência, para ter uma marca construída sob um forte alicerce, são necessários diversos pilares, são eles:

  • Consistência: ser consistente é ser 100% você o tempo todo. Ou seja, uma marca consistente é aquela que mantêm a sua imagem atrelada àquilo que ela sabe fazer de melhor, atender as expectativas dos clientes em tudo o que ele precisa e sem desfocar de seu negócio chave. Para manter a consistência é necessário a coragem de dizer não a algumas oportunidades e dizer sim quando a necessidade de mudar bate à sua porta. Manter a sua marca alinhada aos seus valores mais intrínsicos também demonstra consistência.
  • Credibilidade: ser crível não é fácil. Fazer seu cliente confiar em você também não é. Quando você tem credibilidade, você demonstra transparência. Ou seja, empresas que hoje possuem um Serviço de Atendimento a Clientes atuante e verdadeiro, são empresas que passam credibilidade. Atender o cliente como a prioridade na organização, demonstra também credibilidade. Ter o nome limpo, atuar na lei, ter ações de responsabilidade social, demonstra sua crença de que seu negócio pode e deve fazer a diferença para seus clientes.
  • Foco no consumidor: quando você foca em seu consumidor, você tem ele como 100% a razão do seu negócio. Manter o foco no consumidor não significa dizer sim a tudo o que ele fala, mas ao menos ouça-o e analise suas críticas de forma aberta. Grandes idéias nas organizações são motivos de mudanças positivas e muitas delas são oriundas de inovações e críticas feitas pelo próprio consumidor. Atender o cliente com respeito, diplomacia, cordialidade é primordial. Afinal de contas o que sería de seu negócio sem o seu cliente. Ao manter o foco no cliente você vende o produto ou serviço certo, na hora certa, no local certo, no preço certo.
  • Inovação: nem sempre inovar é mudar. Inovar é fazer diferente atendendo os desejos do consumidor. Inovar é estar aberto às mudanças que se fazem necessárias nesse mundo tão carente de novidades. Inovar muitas vezes é trazer para o público coisas que ele sequer sabia que precisava e de repente, um belo dia, você começa a atender algo que se torna, com o passar do tempo, imprescindível para o seu cliente.
  • Comunicar: você pode ter uma excelente marca, mas se você não souber se comunicar, e, implicitamente ao termo comunicar, estão atrelados publicar, promover, relacionar-se, você será esquecido em breve. Manter-se vivo na mente do consumidor é essencial para construir uma marca. Saber exatamente que conceito você quer propor na mente de seu cliente faz com que sua comunicação seja mais bem sucedida. A sua comunicação pode ser escrita, audiovisual, através de uma imagem, de uma experiência de consumo, da decoração, das peças promocionais em ponto-de-venda, de notícias, de uma mala direta, de sua central de atendimento, dos uniformes de seus colaboradores, da atitude de seus colaboradores. Tudo na organização comunica. Portanto, olhos atentos a ela.

Creio que partindo desses pilares, uma marca sempre poderá ser bem sucedida. Pense a respeito você também. Agora mãos-à-obra.

Miriam Torres

 

Miriam Torres é gestora de marcas e marketing há 9 anos e acredita que a construção de uma marca não se faz da noite para o dia. É necessário persistência, resiliência e determinação.

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

A expansão das Marcas e Sub-Marcas

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

Basta olhar na prateleira do mercado para ficar confuso.

Basta olhar na prateleira do mercado para ficar confuso.

     

Lembro-me quando eu  era criança, existiam 4 marcas de carro, 2 de pastas de dente, 2 de margarina, 2 canais (bons) de TV, dois jornais, duas revistas, uma operadora de telefone, uma de calça jeans, 2 de tênis e por aí vai. Os abaixo de 30 anos podem pensar, nossa essa colunista é da época do Maomé, mas quem leiramente acima pode já pensar “é, e isso não faz muito tempo, estamos falando de 20 e poucos anos atrás”. As diferenças entre os produtos eram sutis, e estávamos felizes com o que tínhamos.

 

Hoje em dia, basta uma ida ao supermercado para nos surpreender com a overdose de  marcas e sub-marcas que existem no mercado. As diferenças nem sempre são tão sutis e a oferta é gigantesca. 

Vamos dar um exemplo a pasta de dente Colgate, hoje há a Colgate para branquear os dentes, para dentes sensíveis, para hálito fresco, e por aí vai. Sem falar na Colgate escova de dente, fio dental e enxágue bucal. 

A convergência é inevitável e marcas gigantes como a Colgate usam e abusam disso.  

E você já experimentou marcar cada serviço ou produto que você tem com o seu nome? Acha isso inviável, louco, insano? 

Pois saiba que todas as pessoas gostam de falar uma marca, e essa marca pode ser seu nome! Pergunte a qualquer mulher como ela é fiel à unha da Fulana, ou à escova da Ciclana! 

Ou pergunte a um rapaz como ele gosta do mecânico Beltrano. Sempre é assim.  

Que tal começar a dar nomes dos seus serviços? Ao invés de anunciar: Escova 15, Unha 10, que tal Escova da Cris 15, Unha da Cris 10. 

Experimente nomear e veja a diferença. Teste. 

Bons negócios e boa sorte,

 

Miriam Torres Martins

 

Miriam é gestora de marketing há 9 anos e sabe o poder que uma marca tem, pois a marca é um nome, e o nome reflete algo único que ninguém pode apagar pois é 100% seu. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

Arquivado em: Marketing I Comentários (0)

Report abuse Close
Am I a spambot? yes definately
http://miriamtorres.blog.terra.com.br
 
 
 
Thank you Close

Sua denúncia foi enviada.

Em breve estaremos processando seu chamado para tomar as providências necessárias. Esperamos que continue aproveitando o servio e siga participando do Terra Blog.